Desafios da saúde

Um semestre difícil para a gestão hospitalar: entenda em detalhes

8 de outubro de 2020 3 min. leitura
gestão hospitalar

A gestão hospitalar passou por um semestre difícil no 2020, consequência da crise causada pelo novo coronavírus. A Covid-19 afetou pacientes, a empregabilidade no setor da saúde e as finanças dos hospitais.

Com o aumento dos casos da doença, a recomendação dos órgãos de saúde – Ministério da Saúde, Organização Mundial de Saúde (OMS) e Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) – foi que os hospitais realizassem a suspensão de procedimentos, cirurgias e exames eletivos. Em função disso, houve queda de 26,3% no total de internações nos hospitais, comparando os meses de janeiro a junho de 2020 com o mesmo período de 2019, segundo dados compilados pela Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp).

Também houve diminuição das internações relacionadas a doenças crônicas e do aparelho circulatório e nervoso – na qual estão classificados os cânceres e as doenças como infarto, acidente vascular cerebral e insuficiência cardíaca, dentre outras de tratamento contínuo – de 27,3%, 31,6% e 34,9%, respectivamente.

Gestão hospitalar viu aumento dos custos e diminuição da receita

Desde abril, no entanto, o setor começou a ver uma retomada gradativa da procura por serviços hospitalares não relacionados à Covid-19, o que dá uma perspectiva um pouco mais otimista para os profissionais que atuam na gestão hospitalar.  

De qualquer forma, no primeiro semestre de 2020, os hospitais da Anahp registraram queda de 60% no resultado operacional na comparação com o mesmo período de 2019. Em paralelo, houve aumento no custo dos insumos hospitalares em cerca de 300%, bem como incremento no consumo de equipamentos de proteção individual (EPIs) em mais de 200%.

Em alguns casos, segundo a Anahp, as despesas dos hospitais chegaram a ultrapassar as receitas, um grande desafio para o setor.

A geração de empregos também foi afetada. Entre os hospitais da Anahp, a taxa de admissões, que vinha subindo nos últimos anos em decorrência da melhora no mercado de trabalho, caiu 20%, passando de 2% de janeiro a junho do ano passado para 1,6% no mesmo período de 2020.

Além de tudo isso, preocupa o setor a proposta da reforma tributária, que está em discussão no Congresso Nacional e, se aprovada como está, vai aumentar ainda mais os custos das empresas de saúde.

Para a Anahp, a atual crise econômica pode levar a suspensão de investimentos em pesquisa, tecnologia, infraestrutura e contratações por parte dos hospitais.

Veja também

reforma tributária
Desafios da saúde

Reforma tributária e seu impacto no setor de saúde

A reforma tributária em discussão no Congresso Nacional vai impactar diretamente o setor de saúde – e não será de uma forma positiva. Isso porque a proposta em tramitação, se aprovada como está, aumentará os custos de hospitais e laboratórios de medicina diagnóstica em 7,4%, enquanto os convênios médicos teriam uma elevação de 5,2% nos […]
8 de outubro de 2020 4 min. leitura
fluxo de caixa
Desafios da saúde

A perda de beneficiários dos planos de saúde e o impacto no fluxo de caixa das empresas do setor

A perda de beneficiários dos planos de saúde e o impacto no fluxo de caixa das empresas do setor Com o aumento do desemprego, vem diminuindo o número de beneficiários dos planos de saúde. Segundo dados da Agência Nacional de Saúde (ANS), 283 mil pessoas saíram da base entre março e maio. Até que ponto […]
8 de outubro de 2020 3 min. leitura
gestão da saúde
Desafios da saúde

Gestão da saúde: um plano para a recuperação

Em um momento de recuperação pós-Covid-19, as empresas de saúde não deveriam retornar às suas antigas formas de trabalhar. Em vez disso, o apropriado seria usar o momento de recuperação como uma oportunidade de transformação da gestão da saúde, segundo a consultoria global Boston Consulting Group. Isso se daria pelo aprimoramento do atendimento ao paciente […]
8 de outubro de 2020 3 min. leitura